Proteção de Endpoint. Veja por que os antivírus não servem mais para sua empresa.

Proteção de Endpoint. Veja por que os antivírus não servem mais para sua empresa.

A proteção das informações corporativas é uma necessidade vital no mundo empresarial, em especial, por conta do crescente número de ataques cibernéticos nos últimos anos no mundo e, principalmente, no Brasil. Conforme uma pesquisa feita pela Akamai Technologies, no segundo trimestre de 2016, nosso país se tornou a segunda maior fonte de ataques de aplicativos da internet. Por isso, tornou-se essencial que sua empresa tenha um sistema de proteção de endpoint.

Na proporção em que os ataques virtuais aumentam, torna-se fundamental adotar soluções que acompanhem as constantes evoluções das estratégias dos cibercriminosos. Para enfrentar esses desafios, até pouco tempo atrás, os antivírus eram as ferramentas mais utilizadas.

Contudo, eles deixaram de ser tão eficazes por causa da diversificação de manobras e formas de infiltração usadas. Sendo assim, tornou-se essencial a implementação da proteção endpoint.

Para ficar por dentro do assunto, confira o post de hoje!

O que é o sistema de proteção endpoint e como ele funciona?

Um sistema de proteção endpoint (ponto final ou de extremidade) é um software que contém recursos que trabalham para proteger sua rede, equipamentos e informações digitais. Ele é composto por soluções que detectam, preveem e respondem a infiltrações, malwares e outros programas maliciosos que tentam adentrar os sistemas corporativos. Sendo assim, esse tipo de proteção funciona como uma plataforma de defesa cibernética.

Para proteger um endpoint, é preciso uma análise rápida e constante de ameaças em tempo real. Para isso, o sistema avalia cada arquivo, tendo como base: atributos ou pontos estáticos; contexto mundial (reputação na web); e características dinâmicas (como se comporta).

Uma ferramenta de proteção de endpoint executa processos de prevenção de intrusões e explorações, além de atuar em conjunto com o firewall. Ela se volta especialmente para as conexões em servidores, computadores e outros endpoints da empresa, protegendo contra invasões que ocorrem por meio deles.

Essa proteção pode convergir recursos de anti-spyware, antivírus, firewall, controle e monitoramento de aplicativos, entre outros. Além disso, funciona desenvolvendo e aplicando normas para nós de extremidade, de modo que consegue identificar dados e informações confidenciais e criptografá-los. Também pode bloquear cópias, compartilhamentos e transferência de arquivos ou informações específicas.

Quais são suas principais vantagens?

Uma das grandes vantagens da proteção endpoint é a possibilidade de atuar analiticamente, verificando arquivos com maior cuidado e precisão na hora de estabelecer quais são ameaças e quais não. Além disso, a garante uma defesa mais abrangente do que os antivírus. Isso porque, em alguns casos, pode ser acionada em conjunto uma ferramenta de análise e utilizar informações de bancos de dados de fornecedores.

O endpoint entrega proteção mais proativa, indo além da prevenção de ataques de malwares. Isso ocorre porque, graças aos recursos de criptografia e proteção de dados, ele atua evitando perda de informações e no monitoramento de equipamentos.

Quais as diferenças para os sistemas arcaicos de antivírus?

Os malwares e ataques persistentes nem sempre podem ser evitados através de antivírus. O motivo é que a constante evolução deles muitas vezes supera a capacidade e a abrangência dessas proteções tradicionais.

Além disso, muitos riscos devido a erros humanos, utilização de equipamentos pessoais infectados nos servidores das empresas, acesso à rede por dispositivos móveis inseguros, entre outros, nem sempre são devidamente avaliados por esses programas. Uma proteção endpoint atua diretamente neles, ampliando a segurança dos dados.

Como adotá-lo?

Para adotar essa solução, é preciso procurar uma desenvolvedora que entregue uma ferramenta completa de endpoint e forneça suporte para sua implementação. Além disso, ela planejará corretamente a transição do antivírus existente para a nova solução de proteção de endpoint.

Para qual tipo de necessidade ele é indicado?

Ele é indicado para todas as  organizações onde existem um trafego de email, arquivos e internet necessitando de uma ampla proteção a eles. Além, é claro, de instituições cujas informações são vistas diariamente por um grande número de colaboradores, de modo que seja necessário o controle ao acesso desses conteúdos e aos sistemas organizacionais.

A proteção endpoint é uma das tendências de TI que pode trazer muitas vantagens para as empresas, especialmente aquelas mais modernas e antenadas ao mercado. Ou seja, as organizações que sabem que a proteção de informações precisa de soluções de segurança em Tecnologia da Informação que acompanhem a rápida evolução dos ataques cibernéticos.

Ficou com alguma dúvida sobre a proteção endpoint? Deixe o seu comentário no post!

Compartilhe este Post