Como construir uma boa estratégia de segurança em TI

Como construir uma boa estratégia de segurança em TI

Você já deve ter sentido na pele a pressão que sofre um gerente de TI para garantir segurança e confiabilidade do sistema.

Tanta cobrança vem de muita responsabilidade. Enquanto um setor de TI ineficaz pode ser um problema, um sistema vulnerável consegue ser fatal para uma empresa.

Por isso, é preciso muito planejamento de um gerente para tornar o seu trabalho confiável. Veja o que você precisa fazer para construir uma estratégia de segurança em TI sólida e duradoura!

1. Defina prioridades

O primeiro passo para um bom plano de segurança é entender quais são as informações, dados e processos que devem ser mais protegidos. Faça uma análise de todo o sistema atual e peça ajuda à diretoria para criar uma lista de prioridades.

Dessa forma, você pode concentrar o seu esforço e o da sua equipe no que realmente precisa de segurança, evitando desperdício de tempo e dinheiro no futuro.

2. Identifique e mapeie pontos sensíveis

Todo sistema tem pontos suscetíveis a falhas e ataques. Pode ser no uso de BYOD, na edição e colaboração de documentos ou no controle de acesso ao sistema.

É como um encanamento com junções ressecadas. Identificar os pontos fracos é outro jeito de concentrar esforços e otimizar a ação da sua equipe no futuro.

3. Avalie possíveis ameaças

O último passo desse momento de pré análise é elencar as ameaças mais iminentes ao seu sistema. São ataques externos? Gargalos internos? Acessos não autorizados?

Cada empresa precisa lidar com ameaças diferentes de acordo com a natureza do seu negócio. Para criar uma estratégia de segurança em TI eficiente, é importante saber com que perigos você e sua equipe enfrentam.

4. Defina regras de uso

Com uma estratégia bem formulada, é hora de partir para o planejamento. Comece criando um documento detalhado com regras e normas para o uso do sistema.

Descreva quais processos são prioritários, regras de acesso, qual deve ser a rotina de manutenção e a responsabilidade de cada integrante da sua equipe. A ideia de um documento desses é que a segurança seja um processo ágil e padronizado, e que você não precise ser solicitado o tempo todo para responder dúvidas e tomar decisões que poderiam ser delegadas.

5. Elabore processos para respostas rápidas

Falando em agilidade e padronização, um erro grave de estratégias mal construídas é a lentidão entre encontrar respostas para vulnerabilidades e implementá-las.

Já que você identificou os pontos sensíveis do seu sistema, elabore processos prevendo falhas e como resolvê-las da forma mais rápida possível.

6. Crie um plano de contingência

Mas não importa o quão seguro é um sistema, ataques e falhas vão acontecer. Uma boa estratégia de segurança deve prever como o setor de TI agirá nesse momento, seja em casos de ataques, quedas de serviço, vazamento de informações ou perda de dados.

7. Crie uma rotina de manutenção e análise

E por último, com sua estratégia montada, é hora de pensar no futuro. O trabalho de segurança em TI é constante e as regras do jogo podem mudar com muita velocidade.

Desde o início, planeje mecanismos para analisar o sistema e realizar manutenções. Prefira as rotinas frequentes em vez das grandes reformulações. Essas pequenas intervenções podem ser o suficiente para evitar crises e ainda economizar dinheiro.

Afinal, a estratégia de segurança em TI depende de quão preparado você está para lidar com falhas no sistema de forma rápida e eficiente. Um bom planejamento é o que você precisa para otimizar o trabalho da sua equipe e diminuir a pressão sobre o seu setor.

Ficou com alguma dúvida? Tem algum ponto no seu planejamento que fez toda a diferença para sua empresa? Então converse conosco nos comentários!

Compartilhe este Post


var MauticFormCallback = { qualificacaoformulariodecotacaorapida: { onValidateStart: function () { document.getElementById('mauticform_input_qualificacaoformulariodecotacaorapida_url').value = window.location.href; } } };