Análise de Vulnerabilidade: uma prática indispensável nas organizações

Análise de Vulnerabilidade: uma prática indispensável nas organizações

Quando um gestor pensa em proteger sua rede, adotar um software antivírus nem sempre é suficiente, o que torna a execução de uma análise de vulnerabilidade um passo fundamental para estabelecer uma estratégia mais eficaz.

Nesse processo, é importante considerar as configurações de rede, problemas com aplicativos de terceiros, além de hardwares e softwares potencialmente problemáticos que possam causar falhas de segurança na rede.

Ficou interessado? Descubra agora por que a análise de vulnerabilidade é uma prática indispensável nas organizações!

Por que realizar análise de vulnerabilidade?

A análise de vulnerabilidade é um processo que define, identifica e classifica as falhas de segurança dos computadores, redes e de toda a infraestrutura de TI.

Quando você busca uma solução baseada somente em softwares antivírus, hackers ainda são capazes de explorar falhas de configurações e invadir a rede sem grandes problemas.

Ao executar uma avaliação de vulnerabilidade em sua rede, além de descobrir e eliminar essas falhas, você também pode encontrar outros problemas de segurança envolvendo softwares e hardwares.

Alguns escâneres também vão procurar por sinais de malwares analisando o comportamento do computador e não somente a verificação dos arquivos, como acontece com os antivírus.

Na maioria dos casos, essa abordagem ajuda a descobrir problemas que um antivírus não consegue, especialmente se o malware for protegido por um rootkit.

Quais as diferenças entre ameaça, risco e vulnerabilidade?

Os termos risco, ameaça e vulnerabilidade possuem significados diferentes. Embora estejam interligados, cada um possui uma característica própria. Veja:

Ameaça

Geralmente não pode ser controlada. Não é possível parar os esforços de um grupo terrorista internacional, evitar um furacão ou domar um tsunami com antecedência. As ameaças precisam ser identificadas, mas muitas vezes permanecem fora do seu controle.

Risco

Pode ser controlado. Com base no conhecimento e registro das principais ameaças, um controle é instaurado com medidas a tomar caso alguma ameaça invada a rede, configurando um planejamento de tomada de decisões para cada situação (medida reativa).

Vulnerabilidade

Pode ser reduzida ou totalmente eliminada. Por meio da análise de vulnerabilidade, falhas de segurança internas e invisíveis são identificadas e medidas tomadas para corrigi-las, criando barreiras de entrada (medida proativa).

Quais os exemplos de vulnerabilidade de sistemas de informação mais comuns?

Conheça alguns dos casos mais corriqueiros de vulnerabilidades identificadas nas organizações:

Dispositivos conectados à rede

Impressoras, roteadores e aparelhos de fax são geralmente vistos como uma preocupação menor em relação à segurança. No entanto, alguns desses dispositivos podem ser usados como um gateway para redes quando carregam uma configuração com defeito ou ainda usam configurações padrão.

Algumas impressoras de rede, por exemplo, por padrão permitem acesso telnet não seguro e sem exigir qualquer autenticação.

IPs e portas de conexões

O mesmo se aplica às ações abertas. IPs e portas de conexões são alguns dos vetores que os hackers usam para espalhar vírus, especialmente nos casos em que as ações não exigem senhas para acesso.

Em algumas situações, ter uma determinada porta aberta também pode ser uma indicação de que o sistema está executando algum malware. A maioria dos escâneres de vulnerabilidade aponta isso em seus resultados de verificação.

Dispositivos móveis

Representam uma grande ameaça de segurança para as empresas. De unidades USB a pontos de acesso sem fio, esses dispositivos podem fornecer um acesso a sua rede e scripts perigosos. Serviços mal configurados e permissões incorretas podem ser explorados por um hacker cujo objetivo é obter acesso aos sistemas de suas vítimas.

Contas inativas

Muitos sistemas ainda possuem contas abertas de ex-colaboradores. Até que tais contas sejam desativadas, eles podem entrar e causar estragos.

Para executar uma análise de vulnerabilidade realmente eficiente, você deve contar com o apoio de um parceiro especializado. Além de apontar os riscos e ameaças e identificar as vulnerabilidades do sistema, ele apresenta uma série de soluções mais econômicas e eficientes do que as convencionais para resolver os problemas.

Gostou do post? Compartilhe com seus colegas de profissão nas redes sociais!

Compartilhe este Post


var MauticFormCallback = { qualificacaoformulariodecotacaorapida: { onValidateStart: function () { document.getElementById('mauticform_input_qualificacaoformulariodecotacaorapida_url').value = window.location.href; } } };