5 pontos a se considerar em seu orçamento de segurança em TI

5 pontos a se considerar em seu orçamento de segurança em TI

Manter a segurança em TI é sempre um desafio e um objetivo para quem atua no setor e para as diretorias e gerências. O risco de perder dados ou até mesmo ter informações hackeadas costuma assombrar os empresários.

Para evitar problemas nesse sentido, é importante que a gerência ou a diretoria de TI direcione os recursos de maneira inteligente e invista o suficiente em tecnologia. Mas, é claro, nenhuma empresa quer gastar mais do que o necessário.

Portanto, um orçamento de segurança em TI precisa encontrar um balanço entre garantir a confiança dos sistemas e não exagerar nos custos. Para ajudá-lo nessa tarefa, preparamos 5 dicas. Confira!

1. Identifique os itens mais valiosos da empresa

Antes de mais nada, você precisa mapear todos os recursos da empresa e identificar quais itens são mais valiosos. Esse mapeamento pode incluir desde bens de tecnologia, como computadores e softwares, até a propriedade intelectual e variáveis mais subjetivas, como o conhecimento técnico do seu pessoal.

Nesse passo, é importante que a empresa entenda que a segurança não envolve apenas os itens diretamente relacionados a TI, mas também envolve outras áreas.

Feito isso, você terá uma noção exata de qual é ou quais são as “galinhas dos ovos de ouro” da empresa, isso é, aquilo que deve ser protegido a qualquer custo.

2. Avalie os riscos do negócio

Depois, você precisará analisar os riscos que podem comprometer os bens e recursos que têm valor para o negócio. Esses riscos podem ser de panes nos sistemas, ações de hackers e vírus, divulgação de informações não autorizadas etc.

Além dos riscos, deve-se pensar nas possíveis consequências deles. Por exemplo, a perda de dados pode afetar diretamente a produtividade da equipe e o vazamento de informações pode beneficiar os concorrentes.

Se possível, tente quantificar os possíveis efeitos desses riscos. Quanto se perderia, em dinheiro, para cada hora que a equipe ficar parada? Quanto pode-se perder em vendas se a imagem da empresa for lesada?

Enfim, tente traduzir os riscos em efeitos financeiros negativos.

3. Pondere todas as possibilidades

Sabendo o que precisa ser protegido e quais os riscos existem, é possível pensar em soluções de segurança em TI que vão mitigar as chances de perdas. É importante pensar que, muitas vezes, existe mais de uma solução para cada problema.

Portanto, antes de eleger uma ferramenta de segurança, considere todas as possibilidades e estude mais de uma solução. Tenha certeza de ter escolhido a melhor opção.

4. Calcule o retorno sobre investimento

Os números importam, mas eles não dizem muito se forem analisados isoladamente. Um software que custa milhares de reais pode parecer caro, mas, se ele prevenir um prejuízo de milhões, seu custo é justificável.

Da mesma maneira, a aquisição de licenças de softwares pode onerar o orçamento, mas se essa prática prevenir multas e sanções e garantir a idoneidade da empresa, deve ser vista como investimento.

Pensando assim, é importante que o profissional de TI calcule o retorno sobre investimento de todas as soluções propostas.

É importante levar em conta também que nem sempre o retorno se restringe ao controle de riscos. Muitas vezes, a utilização de medidas de segurança e compliance pode favorecer o fechamento de novos negócios, melhorar a motivação e a produtividade da equipe, entre outros benefícios.

5. Defina objetivos e mensure resultados

Por fim, a definição de metas é benéfica em qualquer ambiente corporativo, e isso não seria diferente com o orçamento de segurança em TI. Defina limites mínimos e máximos de investimento, trace metas de aquisições, treinamentos, redução de perdas e assim por diante.

Não se esqueça de acompanhar o progresso das atividades e mensurar os resultados obtidos com os investimentos. Tomando esses cuidados, você será capaz de justificar os valores destinados à segurança em TI e demonstrar o resultado positivo do trabalho realizado.

E aí? Gostou das dicas? Quer ver mais conteúdo sobre TI, tecnologia e segurança? Siga nossas páginas no Facebook e no Linkedin e acompanhe tudo!

Compartilhe este Post