Hiperconvergência versus servidores tradicionais: a verdade sobre cada tecnologia.

Hiperconvergência versus servidores tradicionais: a verdade sobre cada tecnologia.

Construir uma infraestrutura de tecnologia em um ambiente corporativo significa muito mais do que apenas substituir alguns dispositivos de rede ou servidores. Isso requer uma maneira totalmente diferente de analisar a arquitetura tecnológica e definir os tipos de ativos necessários para suportá-la.

As infraestruturas de TI tradicionais são compostas basicamente por conjuntos básicos de ativos que  incluem rede, armazenamento, processamento e administração de sistemas e software. Mas muito disso mudou ao longo da última década, uma vez que a virtualização se tornou uma tecnologia de destaque que une redes e servidores.

Com isso, a inovação e o avanço tecnológico nos trouxe a novas arquiteturas para atender a diferentes demandas do mercado.

Além disso, diante da atual Transformação Digital, que tem levado às empresas a grandes mudanças relacionadas às estratégias de negócios, surgem dúvidas sobre, quais são as diferenças entre a infraestrutura de servidores tradicional e a infraestrutura hiperconvergente (HCI)?

Mais do que apenas um conjunto de prós e contras, é preciso saber qual é a melhor infraestrutura a ser adotada pela empresa para se adequar à realidade da economia digital, atendendo às suas necessidades e de seus clientes.

Hiperconvergência versus servidores tradicionais

A primeira coisa que precisamos definir neste ponto do artigo é a falácia de comparar um novo produto com a tecnologia que ele substitui.

O que temos na realidade, é um avanço tecnológico que abre a possibilidade de inovação, melhorias e a modernização dos parques tecnológicos através de novas tecnologias. Mas que precisa ser avaliado de acordo com as necessidades.

Automatizando uma implantação de arquitetura

Os sistemas hiperconvergentes simplificam três elementos principais em uma arquitetura de tecnologia: a configuração inicial de hardware, implantação de hypervisor e implementação de armazenamento definido por software.

É por isso que os administradores podem achar mais fácil usar a Hiperconvergência em comparação com as infraestruturas tradicionais. Um produto hiperconvergente típico conclui tarefas relacionadas a setup até implementação com aproximadamente uma hora de esforço por um especialista de data center moderadamente habilitado.

Os servidores tradicionais normalmente elevam o tempo de configuração e disponibilidade em produção. Todos os principais fornecedores de servidores possuem ferramentas de configuração de hardware que automatizam as configurações iniciais de hardware. Porém, os fornecedores de soluções hiperconvergentes além de possuir a  automação da instalação, a implantação e a implementação ocorrem de forma automática.

A modernização de cargas de trabalho críticas de acordo com o tamanho

Para os setores de TI que exigem clusters separados, é fácil obter uma instalação simplificada sem sistemas hiperconvergentes. Essas empresas têm a infraestrutura e o conhecimento existentes na equipe para manter os scripts de automação.

Entretanto, para os clientes que precisam apenas de um único cluster, que precisa que ele seja dinâmico para atender, por exemplo, operações que será preciso o reboot do sistema, será mais econômico comprar um produto hiperconvergente que permita a implantação de uma infraestrutura não existente.

Isso porque, o trabalho real das operações de TI acontece ao longo da vida do sistema, não apenas na implantação, o que acontece apenas uma vez a cada poucos anos. Atualizar coisas como o sistema básico de entrada / saída, firmware, hipervisores e programas acontece várias vezes ao ano.

Implantações simples são úteis e podem ajudar a aumentar a agilidade dos negócios, mas a economia real de custos de hiperconvergência versus servidores tradicionais vem de sistemas que são fáceis de operar durante toda a sua vida útil.

A ferramenta certa para o investimento certo

Um terceiro ponto a ser avaliado e que possui um grande impacto no critério de escolha, sem dúvidas é o custo. Afinal, para crescer ou adequar-se às novas realidades é preciso fazer investimento, de preferência, sem comprometer os orçamentos operacionais.

A Hiperconvergência é considerada a menos dispendiosa, mais fácil de gerenciar e menos difícil de manter para atender à maioria das necessidades de TI, mas sempre haverá nichos onde a TI tradicional é a que melhor se adapta.

Pequenas empresas, por exemplo, provavelmente se beneficiarão da estrutura tradicional. Os fornecedores de servidores geralmente poderão incorporar tecnologias que atendem a cargas de trabalho além do que os fornecedores de Hiperconvergência podem suportar, mesmo que não sejam consideradas de ponta.

Qual tipo de infraestrutura você deve escolher?

Para resumir, o tamanho e as necessidades da sua empresa devem ser levados em consideração ao escolher uma nova infraestrutura. Se você tem um ambiente muito estável, uma baixa rotatividade e uma equipe de TI especializada, então uma infraestrutura tradicional funcionará para você. Porém, se sua empresa precisa de implantação rápida, acesso rápido a recursos, mantendo baixo o orçamento de TI, a infraestrutura Hiperconvergente é a melhor para você.

Sobre a Combina

A missão da Combina é ajudar os gestores de TI a atingirem suas metas de negócios ao fornecer os conselhos de tecnologia e os produtos e serviços que eles precisam. As áreas de foco da Combina incluem licenças de software, servidores, networking, armazenamento de dados, cloud computing, segurança,entre outros produtos e serviços conectados à tecnologia de última geração.

Para saber mais sobre os benefícios da Hiperconvergência aplicado ao setor de TI das empresas, assine a nossa newsletter e receba as novidades do blog!

Compartilhe este Post