Aprenda como calcular e demonstrar o ROI da sua Proteção de Endpoint

Aprenda como calcular e demonstrar o ROI da sua Proteção de Endpoint

Saber como calcular o ROI na segurança digital é um grande desafio para gerentes de TI. Diferentemente de projetos usuais em que o valor gerado é facilmente mensurado, quando o assunto é a prevenção à ameaças, a conta é um pouco mais complexa.

É inegável que uma proteção de endpoint é crucial para qualquer negócio que utilize tecnologias digitais em sua operação. Mas para saber qual é o retorno sobre esse investimento é importante avaliar a probabilidade de riscos e o impacto que eles causariam no negócio.

Neste artigo vamos explicar como calcular o ROI de uma proteção de endpoint e por que ela é tão importante. Confira!

O que é a proteção de endpoint?

Hoje, um ambiente de rede corporativo é algo muito mais complexo do que as infraestruturas do passado. Com serviços na nuvem, acessos remotos de dispositivos móveis e outras complexidades, existem muitos caminhos para que criminosos digitais ameacem os dados empresariais.

A proteção de endpoint é composta por formas de detectar e barrar esses malwares e acessos não-autorizados. Para realizar isso, esse software é voltado para proteger a extremidade final da rede e por isso leva o nome de endpoint.

Com um monitoramento rigoroso de rede e respostas automatizadas, a proteção de endpoint trabalha junto com o firewall e pode convergir recursos de outros softwares de segurança digital.

Como calcular o ROI da proteção de endpoint?

Uma proteção de endpoint não é apenas uma despesa para uma empresa, mas sim um investimento. E isso pode ser provado pelo seu ROI, ou retorno sobre investimento.

Diferentemente de um cálculo de ROI usual que compara valor gerado e convertido com o que foi investido, no caso de uma proteção de endpoint ou qualquer outro tipo de software de segurança digital, o retorno desse investimento será baseado em estimativas de prejuízos que foram evitadas.

É preciso considerar riscos, portanto, para saber o ROI é preciso antes de tudo mapear e qualificar os riscos que ameaçam as operações de tecnologia de uma empresa.

O primeiro passo para isso é listar todos os riscos de segurança digital que possam causar prejuízos para a empresa, como instabilidades por ataques DdoS, ransomwares e até perda de dados causada por funcionários insatisfeitos.

Uma vez que esses riscos estejam mapeados, é hora de fazer uma análise qualitativa para descobrir o valor deles. Isso é feito com o cálculo dos prejuízos totais que o risco causaria multiplicado pela probabilidade em porcentagem de que eles aconteçam.

Um ataque ransomware, por exemplo, que paralise as operações de um negócio por um dia inteiro e provoque a perda de dados relativos às últimas 24 horas de operação, poderia ter todos seus prejuízos calculados em, por exemplo, R$ 500.000,00.

E com base em dados de outros ataques realizados em empresas do mesmo ramo ou até informações históricas sobre esse tipo de ocorrência, pode ser possível estimar que a chance de que a empresa seja vítima desse tipo de ameaça é de 10% em um ano inteiro.

Com essas variáveis, o valor final do risco seria de R$ 50.000,00, por exemplo. Para prosseguir com o cálculo do ROI, o recomendável é somar os valores finais de todos os riscos possíveis que são prevenidos pela proteção de endpoint.

Com essa soma, basta seguir a mesma equação usual para cálculo de ROI: valor dos danos evitados subtraído pelo custo total do investimento e dividido pelo custo do investimento, multiplicado por 100.

O resultado disso será o ROI, em porcentagem. Logo, se uma empresa calcula que a proteção de endpoint preveniu em um ano R$ 100.000,00 e custou R$ 10.000,00, o resultado final seria um ROI de 900%.

Uma proteção de endpoint é um investimento feito para lidar com situações que a empresa espera nunca ter que enfrentar. Mas não basta torcida para garantir a segurança digital de uma empresa. É preciso se defender ativamente com soluções comprovadas.

Agora que você já sabe como calcular o ROI de uma proteção de endpoint, compartilhe esse conhecimento publicando este artigo em suas redes sociais!

Compartilhe este Post